A irresistível Paris dos “grands magasins”

De Redação Mahogany

lafayette2

Os Estados Unidos podem ser a terra do consumismo (por vezes exagerado, diga-se de passagem), mas foi Paris quem ensinou ao mundo o significado das compras com o mais profundo desejo e glamour. Ou quem nunca sonhou em passar uma elegante tarde na ChampsÉlysées, chamada pelos franceses de “la plus belle avenue du monde” (a avenida mais bonita do mundo), entrando e saindo de lojas com várias sacolas de grifes?

Essa larga e arborizada via repleta de marcas desejadas transformou-se em um dos cenários prediletos dos filmes e editoriais de moda. Mas não só. A menos de 9 minutos de carro de lá, fica o Boulevard Haussmann, o primeiro centro comercial da Europa e destino de mais de 120 milhões de pessoas por ano.

É neste endereço que está instalado um dos mais cobiçados paraísos das compras não só de Paris, mas do mundo. A icônica Galeries Lafayette, considerada a mãe dos grands magasins, com seus 70 mil metros quadrados, 3,5 mil marcas e 25 restaurantes. Com vocação para a moda, ela inspirou outras lojas de departamento da capital francesa não só pelo formato e artigos de luxo, mas também pela arquitetura com janelas em art nouveau, cúpulas em art déco e vitrines de tirar o fôlego.

Todo esse ambiente parisiense de luxo e desejo começou a ser construído em meados do século 19, quando a Cidade Luz viveu uma séria mudanças de conceitos e de mentalidade, com as mulheres entrando no mercado de trabalho e administrando o próprio dinheiro, e também uma reviravolta arquitetônica. O vidro, o ferro e o cimento deram forma a construções de prédios de tirar o fôlego até os dia de hoje.

Verdadeiros monumentos que abrigam os chamados grands magasins parisienses, que se converteram não só em templos de compras, mas também em alguns dos pontos mais visitados pelos turistas. O pai de todas essas ideias foi Aristide Boucicaut, empreendedor que criou o Au Bon Marché, levando esse novo conceito de compras para a França em 1852.

E assim inspirou outras grandes e luxuosas lojas de departamento, hoje tão procuradas quanto a Torre Eiffel e a Catedral de Notre Dame. No século passado, para se ter ideia, as Galeries Lafayette tornaram-se o segundo monumento mais fotografado pelos turistas, logo após a famosa torre.

lafayette4

E pensar que a história das Galeries Lafayette remete ao século 19. Mais especificamente a 1893, quando dois primos da Alsácia, Théophile Bader e Alphonse Kahn, decidiram abrir uma loja de 70 metros quadrados, repleta de novidades, na esquina da Rua La Fayette com a Rua Chaussée d’Antin.

Ao definir o local, os primos fizeram uma escolha inteligente. A loja ficava perto da L´Opéra e dos chamados “grands boulevards”. Da estação de trem Saint-Lazare, uma pequena multidão de parisienses desembarcava atraída pelo comércio da região. Foi assim que, gradativamente, eles passaram a comprar os imóveis ao lado e a ampliar a loja.

A vocação para “bazar de luxo” só veio em 1912, quando a Lafayette começou a adquirir mais e mais bens de luxo em grande variedade, o que acabou encantando os clientes. Essas aquisições vieram acompanhadas de um investimento no layout do espaço interno. Artistas da Escola de Nancy, na França, foram convocados para remodelar a decoração. Foi nessa fase que a deslumbrante cúpula de 43 metros de altura, com trabalho assinado pelo mestre vidreiro Jacques Gruber, tornou-se o símbolo das Galeries Lafayette.

Em paralelo, no avançar das décadas, a varejista fortaleceu seu nome ao ditar tendências. Nos anos 80, por exemplo, a Lafayette criou um festival de moda, convidando estilistas a desenharem peças exclusivas para sua loja. Dentre eles, Karl Lagerfeld, Azzedine Alaïa, Jean Paul Gaultier e Thierry Mugler.

Uma dica: dá para conhecer esses mais de 100 anos de história a partir de visitas guiadas no coração das Galeries Lafayette Haussmann. O tour é gratuito, dura 45 minutos e é organizado a pedido, para grupos de 10 a 20 pessoas. Reservas pelo patrimoine@galerieslafayette.com.

LADO GOURMET
icecubebar

As Galeries Lafayette também são uma tentação enogastronômica. Recomendamos fortemente uma visita sem pressa ao Cube Bar, instalado no terraço e com uma respeitável carta de champagnes, coquetéis e bebidas quentes. Para petiscar, além de aperitivos salgados e doces, são oferecidas ostras, especialidades da montanha, foie gras e também produtos tipicamente franceses.

Se for no inverno, uma boa notícia: o Cube Bar transforma-se em Ice Cube Bar durante a estação. Os visitantes podem se abrigar no interior dos dois domos que lembram iglus e, claro, se aquecer com um bom tinto.

la_cave

Outra parada obrigatória é a Cave, com 450 metros quadrados. Instalada no primeiro andar da Lafayette Gourmet, ela oferece 2,5 mil referências – de vinhos excepcionais de Bordeaux, Champagne e outras regiões da França e do mundo até descobertas assinadas por pequenos viticultores do país a partir de 4,90 euros. Embora o espaço seja elegante, ele mantém o espírito de uma adega de bairro.

PRINTEMPS

É no mesmo Boulevard Haussmann que funciona outra famosa loja de departamento local, a Printemps (primavera, em francês). Criada em 1865 pelo visionário Jules Jaluzot, a Printemps Haussmann é hoje uma das principais referências do varejo parisiense.

150_ans_printemps_vuebatiment

Com mais de 44 mil metros quadrados dedicados ao luxo, à moda e ao glamour, esse grand magasin de 25 andares divididos em três blocos oferece 1 milhão de referências de mais de 300 marcas vendidas exclusivamente lá.

printemps

Uma vez na Printemps Haussmann, não deixe de visitar o panorâmico terraço com uma vista deslumbrante de Paris. Sua cúpula de tirar o fôlego (foto acima) traz o melhor da art déco para o ambiente.

Mais do que luxo, a Printemps dita (e vende) tendências em moda, luxo, decoração e beleza. E por falar em cosméticos, em 2003, essa gigantesca loja de departamentos inaugurou o maior espaço de beleza do mundo. Literalmente, uma Disney para mulheres. Três anos depois, um andar inteiro foi dedicado ao objeto de desejo número 1 do público feminino – os sapatos. São 3 mil metros quadrados de calçados de todos os desenhos, saltos, estilos e cores.

Para a clientela internacional, a loja dispõe ainda de serviço personalizado de acompanhante de compra bilíngüe e entrega em hotéis parisienses.

LE BON MARCHÉ RIVE GAUCHE

Le-Bon-Marche-Rive-Gauche

Foi na Paris de 1852 que o Le Bon Marché Rive Gauche, localizado na charmosa Saint-Germain-des-Prés, abriu e deu à Cidade Luz sua primeira grande loja. Hoje, esse grand magasin tornou-se referência absoluta de sofisticação francesa na moda, em mobiliários e até mesmo na deliciosa seção de epicerie (delicatessen).
epicerie
É lá dentro que funciona uma das melhores confeitarias de Paris, com doces tentações (foto acima), a exemplo de bolos, tortas, geleias, biscoitos, patês, chás especiais e muitas outras iguarias para os amantes da boa gastronomia.
 
lebon2
O Natal é um show à parte, com as janelas com vista para a margem esquerda do Rio Sena todas decoradas de forma a impressionar todos que passam por ali.
CITADIUM
citadium

Este é o reino dacultura de rua“, muitas vezes relacionada com roupas confortáveis para uso diário e também às práticas esportivas urbanas, como skate ou patins. Todas as grandes marcas de moda casual e também esportivas que você imaginar (ou não) estão amplamente representadas nos três níveis da Citadium.

1363812
Ela atende homens e mulheres com roupas, acessórios e objetos modernos para casa, com pegada moderna e descontraída. Não deixe de passar pela seção de gadgets, com fones de ouvido super potentes, patins, smartphones e relógios que contabilizam os passos dados no dia. Um segundo endereço assim em Paris? Com todas essas particularidades, é praticamente impossível de encontrar.
LE BHV MARAIS
LEBHV

No coração de Paris, perto da Catedral de Notre Dame e em frente à Câmara Municipal, em uma das áreas mais modernas, culturais e turísticas de Paris, a Le BHV Marais é o destino certo para compras – muitas vezes não programadas.

Quem passa pela frente do número 52 da Rue de Rivoli não consegue ficar imune à bela fachada toda restaurada e seus 45 mil metros quadrados redesenhados para tornar o ambiente mais aconchegante. O mobiliário ganhou uma pegada mais contemporânea para abrigar as 900 marcas à venda.

A loja é tão diversificada que oferece simplesmente tudo sobre o mesmo teto. Desde ferramentas para fazer obras em casa até sapatos moderninhos. O luxo, como não poderia deixar de ser, está presente na loja, a exemplo de grifes como Fendi, Givenchy, Gucci e Valentino.

Deixe um comentário